Tudo posso naquele que me fortalece. (Filipenses 4:13)

Notícias

Ações da Sabesp são colocadas à venda, e privatização da companhia entra na fase final


Empresas poderão fazer ofertas para comprar 15% da empresa a partir de segunda-feira (24). Em 1º de julho será aberta a venda de mais 17% das ações para outros investidores, incluindo pessoas físicas. Governo de SP vai manter 18% das ações da Sabesp após privatização O processo de privatização da Sabesp entrou na etapa final após ações da empresa serem colocadas à venda, na sexta-feira (21). O governo de São Paulo informou que publicou o prospecto da oferta pública de ações após o fechamento do mercado. ? Clique aqui para se inscrever no canal do g1 SP no WhatsApp Entre os dias 24 e 28 de junho, empresas credenciadas na bolsa de valores brasileira (B3) poderão fazer propostas para comprar 15% das ações da empresa. As duas empresas que oferecerem o maior valor por ação serão selecionadas no próximo dia 28. Por fim, elas vão competir sobre qual oferecerá mais recursos ao governo de São Paulo. O resultado da vencedora sairá no dia 15 de julho, com a liquidação da operação sendo concluída no dia 22 do próximo mês. Além disso, a partir do dia 1º de julho, será aberta a venda de mais 17% das ações da Sabesp. Os papéis poderão ser comprados por investidores aptos a operar no mercado de ações, incluindo pessoas físicas. Até esta sexta-feira, o governo de São Paulo detinha 50,3% das ações da Sabesp. Com o processo de privatização, o poder público ficará com 18% dos papéis da empresa. Após a venda da companhia, o governo ainda terá poder de veto em algumas decisões. Privatização Caixas de tratamento de água da Sabesp no estado de São Paulo. Divulgação/Sabesp O projeto que autorizou a privatização da Sabesp foi aprovado pela Assembleia Legislativa de São Paulo em dezembro de 2023. Na capital, a privatização foi aprovada na Câmara Municipal em 2 de maio deste ano. Atualmente, metade das ações da empresa está sob controle privado, sendo que parte é negociada na B3 e parte na Bolsa de Valores de Nova York, nos Estados Unidos. Em 2022, a empresa registrou um lucro de R$ 3,1 bilhões. Desse montante, 25% foram revertidos como dividendos aos acionistas e R$ 2,4 bilhões, destinados a investimentos. Atendendo, 375 municípios com 28 milhões de clientes, o valor de mercado da empresa chegou, em 2022, a R$ 39,1 bilhões. VÍDEOS: mais assistidos do g1

Quina de São João com prêmio de R$ 220 milhões será sorteada neste sábado; veja como jogar


Os números serão revelados a partir das 20h. Prêmio é o maior da história do concurso especial e não vai acumular. Leva a bolada quem acertar a maior quantidade de números. Quina de São João Marcello Casal jr/Agência Brasil O sorteio do concurso 6.462 da Quina de São João, com prêmio estimado em R$ 220 milhões, será realizado neste sábado (22), a partir das 20h. Esse é o maior valor da história do concurso especial, segundo a Caixa Econômica Federal. As apostas para a 14ª edição da Quina de São João começaram no último dia 10 de junho e podem ser feitas até as 19h de hoje. Assim como nos outros concursos especiais, o prêmio não acumula: leva a bolada quem acertar a maior quantidade de números. Caso nenhum apostador acerte na faixa principal, o prêmio será dividido entre os acertadores de 4 números ? e assim sucessivamente, conforme a regra da modalidade. Como apostar O apostador deve escolher de 5 a 15 números dentre os 80 disponíveis no volante. O jogo simples, com 5 dezenas, custa R$ 2,50. Quem quiser escolher 15 dezenas em um único jogo terá que desembolsar R$ 7.507,5?0. Os jogadores também têm a opção de deixar que o próprio sistema escolha os números, por meio da Surpresinha. De acordo com a Caixa, para apostar, podem ser utilizados tanto os volantes específicos da Quina de São João quanto os volantes regulares do concurso. Ganha prêmios quem acertar dois, três, quatro ou cinco números. Os jogadores também podem optar por apostar em grupo, por meio de um bolão. O preço mínimo é de R$ 12,50 e cada cota não pode ser inferior a R$ 3,50. Nos canais digitais, o valor mínimo de compra é de R$ 20. LEIA TAMBÉM Em 2 anos, +Milionária nunca teve vencedor; entenda por que é tão difícil ganhar +Milionária, concurso 153: prêmio acumula e vai a R$ 222 milhões Mega-Sena, concurso 2.734: aposta do Paraná leva sozinha R$ 114 milhões Quanto rende o prêmio em investimentos? Antônio Sanches, analista de research da Rico, simulou quanto renderiam os R$ 220 milhões caso o vencedor aplicasse o valor no Tesouro Selic, com a taxa de juros atual de 10,50% ao ano. Nesse tipo de investimento, o rendimento mensal chegaria a R$ 1,8 milhão. Após o desconto de 22,5% de imposto, o valor seria de R$ 1,4 milhão por mês. Já no ano, o rendimento seria de aproximadamente R$ 23 milhões sem imposto e de R$ 19 milhões após descontos de 17,5%, segundo cálculos do analista. No caso da poupança, o rendimento em 30 dias seria de R$ 1,1 milhão, enquanto, em um ano, de R$ 13,5 milhões. Veja abaixo: Rendimento de R$ 220 milhões na poupança e no Tesouro Selic "O prêmio é tão alto que é difícil até imaginar. Para gastar tudo em 50 anos, o ganhador precisaria desembolsar cerca de R$ 12 mil por dia", exemplifica Sanches. Nas contas da Caixa Econômica Federal, caso um único apostador leve os R$ 220 milhões e aplique na poupança, ele terá um rendimento de R$ 1,2 milhão no primeiro mês. Com o prêmio, o vencedor também consegue comprar 50 mansões, de R$ 4,4 milhões cada, destacou o banco. Números mais sorteados Historicamente, as dezenas que mais saíram em edições da Quina de São João foram 14, 15, 55 e 79, sendo 3 vezes cada uma delas). Ainda considerando as 13 edições anteriores do concurso especial, São Paulo lidera o ranking dos estados com mais vencedores, com 505 apostas ganhadoras. Na sequência está Minas Gerais, com 202 vencedores. Como funciona a Quina

Mega-Sena pode pagar R$ 86 milhões neste sábado; +Milionária pode chegar a R$ 228 milhões


Apostas podem ser feitas até as 19h em lotéricas ou pela internet. Mega-Sena Marcelo Brandt/G1 Aposta única da Mega-Sena custa R$ 5 e apostas podem ser feitas até as 19h Marcelo Brandt/G1 A Caixa Econômica Federal promove neste sábado (22), a partir das 20h, os sorteios dos concursos 2.740 da Mega-Sena e 157 da +Milionária. A +Milionária tem prêmio estimado em R$ 228 milhões. Criada há mais de dois anos, a loteria nunca teve ganhador no prêmio principal. As chances de vencer são ainda menores do que na Mega-Sena: para levar o prêmio máximo, é preciso acertar seis dezenas e dois trevos. (veja no vídeo mais abaixo) O valor de uma aposta simples é de R$ 6. Com ela, o apostador pode escolher 6 números de 50 disponíveis e mais 2 trevos, dentre os seis disponíveis. Para apostas múltiplas, é possível escolher de seis a 12 números e de dois a seis trevos, com preços que podem chegar a R$ 83.160,00. A +Milionária se destaca por oferecer o prêmio principal mínimo de R$ 10 milhões por sorteio e possuir dez faixas de premiação. Veja os detalhes: +Milionária: veja como jogar na loteria da Caixa Mega-Sena Já a Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 86 milhões para os acertadores das seis dezenas. No concurso da última quinta-feira (20), nenhuma aposta levou o prêmio máximo. A aposta mínima para a Mega-Sena custa R$ 5 e pode ser realizada também pela internet, até as 19h ? saiba como fazer a sua aposta online. Entenda como funciona a Mega-Sena e qual a probabilidade de ganhar o prêmio Para apostar na Mega-Sena As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal ? acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito. Probabilidades A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, que custa R$ 5, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

'Navio' de 17 metros, laboratórios educativos e jantares temáticos: veja estratégias das casas de swing para inovar e atrair público


Levantamento realizado pelo site sexlog aponta aumento no número de novos adeptos às festas. Principal público tem entre 35 e 44 anos e gasta em média R$ 500 por noite. 'Navio' de 17 metros é atrativo em casa de swing; conheça por dentro Locais com seguranças na porta, canhões de luz que iluminam a parte externa e filas de pessoas aguardando sua vez de entrar. Esse cenário não é estranho para quem conhece o bairro de Moema, em São Paulo, uma das regiões que abrigam a animada vida noturna da capital. Aos olhos de quem passa por ali, cada um desses estabelecimentos parece apenas mais uma balada paulistana ? mas basta passar pela porta para perceber que esses lugares são, na verdade, as chamadas casas de swing. ? Mas, primeiro, o que é uma casa de swing? As casas funcionam como uma balada normal, contam com dj, pista de dança e bar com bebidas alcoólicas. O diferencial é o que acontece, normalmente, no fundo da festa ou no primeiro andar. Os ambientes, conhecidos como labirintos, são um conjunto de salas usadas principalmente por casais para realizar fetiches sexuais, como troca de parceiros, ménage à trois (sexo envolvendo três pessoas) e cuckold (desejo sexual em ver o parceiro transar com outra pessoa), por exemplo. As casas também costumam oferecer salas coletivas, onde diversos casais transam ao mesmo tempo, e algumas ainda permitem que as relações aconteçam no meio da festa ? essas, por sua vez, são conhecidas como baladas liberais. E com tantos quartos manjados nas festas, os frequentadores de swing ? ou swingueiros ? afirmam que o diferencial fica por conta da estrutura ou das novidades apresentadas pelas casas. Tanto que os proprietários precisam constantemente encontrar saídas para abraçar as demandas esse mercado. Veja abaixo as estratégias usadas por algumas dessas casas para atrair público e se destacar no mercado: ?? 'Navio' de 17 metros O dono da Enigma Club, Assis Alves Junior, instalou a carcaça de um "navio" de 17 metros de comprimento e 25 metros de profundidade dentro da casa de swing para, segundo ele, dar uma experiência inusitada aos clientes ? e ser um diferencial no mercado swingueiro de São Paulo. Dentro do "navio", existe um bar e 30 cabines, que vão desde quartos de vidro a salas coletivas e ambientes para cuckold. A casa existe há mais de 20 anos e a embarcação foi criada há cerca de 10 anos. Casa de swing Enigma Club. Fabio Tito/ g1 Ao g1, ele contou que a parte da frente do navio custou aproximadamente R$ 40 mil. Os gastos com a estrutura, no entanto, já foram muito maiores, uma vez que Alves Junior constantemente realiza reformas e modificações para propor salas ? ou cabines ? novas. Para este ano, por exemplo, ele planeja alterar a parte superior do "navio", onde ficam os camarotes. "Inicialmente, eu ia fazer um trem. Porém, os custos ficaram altíssimos e eu teria que fazer uma operação muito grande para montar a estrutura. Então, eu tive a ideia de um navio. E, desde que eu criei a estrutura, estou constantemente realizando reformas, fechando e abrindo salas, para que os clientes sempre tenham novidades", contou Assis. O local tem um público na faixa dos 25 a 50 anos, sendo cerca de 200 casais por fim de semana. Os clientes têm um gasto médio de R$ 200. ??? Palestra sobre swing Fábio Leandro, dono da Spicy Club, resolveu promover esporadicamente palestras comandadas pelo casal de influencers Camila e Edgar Voluptas. Ambos apresentam por aproximadamente 2 horas as regras de uma casa de swing. Segundo o proprietário, tem pessoas ? principalmente homens ? que não entendem muito como as casas funcionam. "[Tem gente que acha que] vai chegar e encontrar todo mundo pelado e transando. Não é assim. Existe uma logística". E esse é o motivo pelo qual os homens, se forem sozinhos ao swing, tendem a pagar 4 vezes mais caro que um casal. A mulher, quando sozinha, muitas vezes entra de graça. "Muitos caras acham que podem fazer o que quiserem se pagarem. Tem gente que quer pagar R$ 2 mil para entrar e eu não deixo. Além disso, se uma mulher está transando com cinco homens, ela tem o total direito de recusar um sexto. Não é não, e pronto", afirmou o proprietário. Palestras sobre swing na Spicy Club Divulgação/Spicy Club As palestras são gratuitas e acontecem antes da festa. "É como se fosse um laboratório educativo. Após aprenderem sobre swing, eles [clientes] conseguem colocar na prática", disse o proprietário. Em agosto e setembro, Leandro planeja lançar uma palestra para falar sobre fetiches e outra voltada somente aos homens. Ele também promove mais de 15 festas com temáticas diferentes, com o objetivo de atrair todo tipo de público. Uma delas, chamada de Violet Bibi, é conhecida por ter participação de casais bissexuais. Já outra, a balada nudista ? como o próprio nome já diz ? é voltada para pessoas que querem dançar e conviver completamente sem roupa. O preço de cada festa varia. Em uma noite mais voltada para o swing, por exemplo, um casal paga em torno de R$ 350 (considerando entrada e bebida). A média de público é em torno de 500 pessoas por noite. Entre o desejo e o proibido: quando os fetiches sexuais podem fazer bem para a saúde? ? Jantares temáticos O consultor de entretenimento da Villa Imperium, Paulo Alexandre, por sua vez, resolveu anunciar jantares temáticos para os clientes como cortesia. As comidas variam entre mexicana, noite de queijos, festa italiana e sopa. "Como qualquer negócio, precisamos sempre buscar satisfazer nossos clientes", afirmou. Para ele, a escolha de oferecer comida é porque um casal que resolve ir para uma casa de swing tem um objetivo principal: praticar fetiches. Porém, ao chegarem, "[eles] vão encontrar além do que esperam, um lugar habitável, bonito e aconchegante. Tem mesa onde o pessoal consegue sentar, beber e tomar seu vinho". O buffet é das 21h às 23h, com o objetivo de os clientes chegarem mais cedo. O custo médio para o casal no final de semana é de aproximadamente R$ 250, sendo R$ 100 de consumação caso cheguem até 23h30 ? e a comida já está inclusa no preço. De todo modo, Alexandre afirma que, "na prática, o que atrai o nosso público é a proposta [de uma casa de swing] em si. O resto, [como a comida], é apenas um floreamento'". Anúncio da Villa Imperium no Instagram; noite de vinhos que acontece dentro da casa de swing Redes sociais e divulgação ? Quem costuma frequentar? Os donos das casas comentaram que existem principalmente três tipos de clientes: os que tem curiosidade e estão indo pela primeira vez, os que vão com uma certa frequência e os que combinam em aplicativos e sites voltados ao sexo de se encontrarem nas casas. A pedido do g1, o site Sexlog, voltado para pessoas que querem marcar swing na América Latina, realizou um levantamento sobre o perfil dos frequentadores das casas. O levantamento foi realizado com 9981 brasileiros, entre os dias 18 e 19 de junho. No Brasil, o site possui 65,51% de homens que buscam swing e 26,6% de casais heteronormativos (formado por um homem e uma mulher). Já as mulheres são 6,53%. Quanto à faixa etária: Entre 18 e 24 anos, o público é de 7,14% Entre 25 e 34 anos; 30,34%; Entre 35 a 44 anos; 37,67%; Entre 45 a 54 anos; 19,28% 54 anos ou mais; 5,56% E o público, independente da idade, gasta em média R$ 500 por noite em uma casa de swing ? o mesmo valor médio é desembolsado nas casas de São Paulo. O levantamento também apontou que houve um aumento no número de adeptos do swing nos últimos anos. Entre os entrevistados, 10,74% responderam que foram pela primeira vez em 2022; 15,42%, em 2023; e 11,61%, em 2024. Em São Paulo, foram entrevistadas 2.921 pessoas. Entre os paulistas, 9,79% afirmaram que foram a primeira vez em 2022; 15,24%, em 2023; e 10,82%, em 2024. Vale destacar que os números deste ano foram contabilizados até o último dia 19 de junho e que a estimativa da CMO do Sexlog, Mayumi Sato, é que o volume de novos visitantes até o final de 2024 supere o do ano anterior. Segundo Sato, a expectativa é que haja um crescimento no segundo semestre no que diz respeito a "alternativas para explorar a sexualidade", incluindo um aumento de receitas para lojas ? como sexshops, por exemplo ?, redes sociais adultas e casas de swing. "Historicamente o segundo semestre costuma ser muito forte nesse segmento, que tende a ser muito beneficiado pela 'ressaca' pós férias escolares em família, onde a ida a casas de swing é usada como válvula de escape. [É] Algo como as férias dos adultos depois das férias das crianças", disse a executiva. Ainda de acordo com Sato, há uma tendência crescente de que as pessoas encarem as casas de swing como um espaço de prazer e experimentação, não limitado à prática do fetiche em si. "As pessoas estão mais abertas para falar sobre sexo, prazer, novas formas de se relacionar e também a experimentar mais, e isso acaba renovando o público das casas, que por isso mesmo têm investido em eventos com mais diversidade de tema e público", afirmou. "A tendência é que uma visita à casa de swing passe a ser vista com cada vez mais naturalidade, afinal, ninguém sabe exatamente o que vai fazer por lá, fortalecendo assim este mercado", concluiu. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), não é possível mapear dados econômicos desse mercado porque não existe cadastro para esse tipo de empresa no CNAE (Classificação Nacional das Atividades Econômicas). Tanto que, segundo o governo do Estado de São Paulo, as casas podem ser registradas como bar, restaurante, lanchonete, discoteca, espaço de reunião, etc. ?Swing não é bagunça e tem segurança Outro ponto que atrai os swingueiros é a segurança que as casas têm. Marcos Rabelo, gerente da Asha Club, comenta que os estabelecimentos prezam pelo respeito e segurança total dos casais. "Uma mulher hoje, por exemplo, é muito mais assediada em festas normais do que aqui. Os [nossos] clientes são mais conscientes", disse Rabelo. E esse é justamente um dos pontos que faz com que a administradora Alice Vilas Boas, de 28 anos, se sinta à vontade para frequentar as casas. "Eu adoro porque, além dos atrativos, tem tudo o que eu gosto: música, balada, sexo e segurança [...]. Se você deixar claro que não está interessada em alguém, ninguém irá forçar. Ninguém é obrigado a nada", afirmou a administradora. Ela conta que mesmo tendo começado a frequentar casas de swing há menos de um ano, já é uma frequentadora assídua desses locais, com presença marcada nas festas pelo menos três vezes por semana. "Mesmo que eu esteja envolvida sexualmente com alguém. Se outra pessoa chegar e eu disser: 'não, valeu. Estamos tranquilos', não tem problema nenhum. Eu nunca passei por nenhum tipo de situação desagradável". Alice Vilas Boas, de 28 anos, e Maria Edvania, de 35 anos, ao lado do marido Vanderson de França, de 46 anos Arquivo pessoal A estudante de enfermagem Maria Edvania, de 35 anos, e seu marido, Vanderson de França, de 46 anos, por sua vez, frequentam casas de swing há quase 9 anos. Ela contou que prefere essas festas às baladas normais por conta da organização e da segurança. "A parte de interação fica nos fundos ou no andar de cima. É bem organizado. Eu e meu esposo preferimos sair por Moema do que ir em um pancadão na nossa vila ou em um forró risca-faca. Lá [no swing] tem toda uma segurança que não vejo em outros lugares". O casal mora em Carapicuíba (SP), cerca de 25 quilômetros de distância das casas de swing paulistanas. Ela ressalta que o lema do "meu corpo, minhas regras" é muito bem aplicado. Edvania conta que os homens olham para ela e perguntam se podem se relacionar com ela e o marido. Caso tenha interesse, confirma, caso não, sem problemas. "O Vanderson sempre me deixou livre para escolher quem eu gostaria que participasse [das relações]". "Eu sou exibicionista. Gosto de mostrar meu corpo e transar na frente de outras pessoas, mas isso não quer dizer que quero me relacionar com todo mundo ou que estou me oferecendo para qualquer um. E dizer não para um homem nunca foi um problema" O objetivo do casal é principalmente sair da rotina e conhecer pessoas novas. "Como existem ambientes coletivos, quem gosta de se exibir não tem nenhum empecilho. Agora, quem quer algo mais privativo, também tem as cabines privativas. No final, a casa de swing é o lugar que eu conheço que mais abraça qualquer tipo de público e traz segurança", ressalta.

Programação IEQ

09:00 Culto da Manha
Local: Templo
Obs:
15:00 Culto da Tarde
Local: Templo
Obs:
19:30 Culto de Libertação
Local:
Obs:
09:00 Culto da Manha
Local: Templo
Obs:
15:00 Culto da Tarde
Local: Templo
Obs:
19:30 Culto da Noite
Local: Templo
Obs:
REDE DE CASAIS
Local: QUARTO ANDAR
Obs: 19H30
09:00 Culto da Manha
Local: Templo
Obs:
15:00 Culto da Tarde
Local: Templo
Obs:
19:30 Culto da Noite
Local: Templo
Obs:
17:00 Culto da Tarde
Local: Templo
Obs:
08:00 Escola Dominical
Local: Templo
Obs:
09:00 Culto da Manha
Local: Templo
Obs:
17:00 Culto da Tarde
Local: Templo
Obs:
19:00 Culto da Noite
Local: Templo
Obs: